A videira e seus ramos

JOÃO 15

1 Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o viticultor.

2 Toda vara em mim que não dá fruto, ele a corta; e toda vara que dá fruto, ele a limpa, para que dê mais fruto.

3 Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado.

4 Permanecei em mim, e eu permanecerei em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não permanecer na videira, assim também vós, se não permanecerdes em mim.

5 Eu sou a videira; vós sois as varas. Quem permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.

Deus Pai é o viticultor que lançou a videira na terra para que através de seus ramos, deêm muitos frutos e estes frutos produzem sementes que geram novos ramos, que darão novos frutos, conforme a sua espécie.

Quando vemos em Gênesis, na criação, vemos o padrão de Deus em sua criação.

Cada espécie de planta, frutos, animais, peixes ou aves, só podem produzir outro conforme a sua espécie.

E sendo Jesus a videira verdadeira, os seus ramos somente podem produzir frutos dignos de se assemelhar, a saber, frutos iguais. Não há distinção entre ramos e ramos, todos produzem frutos semelhantes, iguais.

Sabemos que os frutos do Espírito Santo é tudo aquilo que mostra o trabalhar de Deus em seus filhos, logo, como frutos temos o amor, a paciência,a benignidade, a constância, a temperança, o domínio, e coisas semelhantes a estas que identificam a origem de sua espécie.

Se os frutos forem contrários a estes, sabemos que não pertence à plantação do Pai, logo, terá de ser arrancado e lançado fora, e por consequência, lançado ao fogo.

Os ramos da videira verdadeira mostram a sua origem através dos frutos- de suas atitudes, de seu falar, de seu andar, de sua vida.

E se por ventura este ramo ainda é novo, e ainda está dando poucos frutos, limpa-se os ramos, para dar mais e mais frutos. Ainda na sabedoria de Deus, há o tempo determinado para se dar os frutos. Todo ramo novo tem de ser podado, até que se torne forte o suficiente para aguentar inúmeras colheitas e produções.

A Bíblia fala sempre de forma ilustrativa, tratando de casamento (união), noivo (Jesus), noiva (cada crente), ou ainda, plantação (povo espalhado), colheita (Juízo Final), sementes (palavra pregada) e coisas semelhantes a estas, Deus em seu amor sabe que, apenas de forma figuradas seriam selecionados os do Reino, pois, quem não quer crer, ainda que se lhe falasse declaradamente, ainda assim não creria. No entanto, o que tem o espírito disposto a crer, a figuração traz luz e entendimento.

Shalom

 

//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

%d blogueiros gostam disto: